Fisioterapia na doença de Osgood-Schlatter

  • JORGE LUIZ GRABOWSKI UNINGA
  • SONIA MARIA MARQUES GOMES BERTOLINI

Resumo

Este artigo relata o caso de um paciente com Doença de Osgood-Schlatter, submetido à
fisioterapia, apresentando sinais de inchaço, dor, espessamento do tendão patelar e
avulsão da tuberosidade tibial do joelho esquerdo. Os objetivos do tratamento foram
alívio da dor, redução do inchaço e inflamação. O tratamento fisioterápico consistiu em
terapia analgésica e antiinflamatória, exercícios de alongamento e fortalecimento dos
quadríceps e isqueo-tibiais, repouso e afastamento dos esportes. Os resultados
demonstraram melhora nestes aspectos, contribuindo para o retorno às atividades
esportivas.

Publicado
2017-10-11
Como Citar
GRABOWSKI, JORGE LUIZ; BERTOLINI, SONIA MARIA MARQUES GOMES. Fisioterapia na doença de Osgood-Schlatter. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 2, n. 1, out. 2017. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/350>. Acesso em: 21 jan. 2019.
Seção
Artigos