DISCINESIA TARDIA INDUZIDA POR NEUROLÉPTICO EM PACIENTE COM ESQUIZOFRENIA: UM RELATO DE CASO COM ACOMPANHAMENTO

  • Alessandro Nassar do Nascimento
  • Narciso Marques Moure

Resumo

RESUMO


A Esquizofrenia possui como característica uma significativa perda de contato com a realidade através da perda das formas usuais de associações de ideias.  É comum o aparecimento de ambições desmedidas que podem evoluir para mania de grandeza (megalomania) bem como o surgimento de delírios persecutórios. Esse trabalho tem como objetivo realizar um estudo de caso sobre a fisiopatologia, epidemiologia, clínica e abordagem terapêutica de uma discinesia tardia por neurolépticos em um paciente com esquizofrenia paranóide Estudo de Caso, Entrevista com o paciente e revisão bibliográfica e de prontuário. Descrição do Caso: Desde 1988, faz tratamento por esquizofrenia paranoide com haloperidol. Deu entrada no Pronto Socorro, apresentando reações extrapiramidais, rigidez espática de membros superiores e inferiores, hiporexia, astenia e em surto delirante. Conclui-se que com a internação e a administração regular da medicação, a paciente diminuiu a sua agressividade, irritabilidade e apresentou maior controle e menos surtos delirantes, passando a dormir melhor. No entanto, não pudemos interferir no contexto social. Tal relato se presta a ilustrar a importância do uso correto dos medicamentos e também a relevância do suporte psicoterápico na abordagem da Esquizofrenia Paranóide.


 


Palavras-Chave: Esquizofrenia Paranóide, Discinesia Tardia, Neurolépticos.

Publicado
2018-12-07
Como Citar
DO NASCIMENTO, Alessandro Nassar; MOURE, Narciso Marques. DISCINESIA TARDIA INDUZIDA POR NEUROLÉPTICO EM PACIENTE COM ESQUIZOFRENIA: UM RELATO DE CASO COM ACOMPANHAMENTO. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 55, n. S2, p. 64-75, dez. 2018. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2598>. Acesso em: 21 jan. 2019.