USO DO DIAGRAMA DE ISHIKAWA ASSOCIADO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: EXPERIÊNCIA NA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

Authors

  • JÉSSICA MARINA ALVAREZ FIORIN
  • THAÍS APARECIDA TOMIAZZI
  • JOÃO LUCAS CAMPOS DE OLIVEIRA
  • RENATA PEREIRA DE OLIVEIRA
  • NELSI SALETE TONINI
  • ANAIR LAZZARI NICOLA

Abstract

O Planejamento Estratégico Situacional (PES) é um instrumento
de gestão com potencial para viabilizar mudanças
em diferentes segmentos organizacionais, incluindo a
gerência em enfermagem. Com intuito de facilitar o diagnóstico
de problemas inerente ao PES e, consequentemente,
identificação racional de suas causas, optou-se pelo uso do
Diagrama de Ishiakawa associado ao PES no ensino da
gerência em enfermagem. Diante disso, objetivou-se relatar
a experiência do uso do Diagrama de Ishikawa associado ao
Planejamento Estratégico Situacional na graduação em
enfermagem. Trata-se de um Relato de Experiência embasado
à vivência de docentes e acadêmicos, que se utilizaram
da ferramenta em questão nas aulas práticas no âmbito da
gestão hospitalar, incutida em uma disciplina de Administração
de Enfermagem em Instituições de Saúde de uma
universidade pública do interior do Paraná, Brasil. O Diagrama
de Ishikawa foi utilizado como instrumento pedagógico
para facilitar a visualização das causas e sub-causas de
problemas verificados no campo de ensino prático. Com
isso, concluiu-se que a experiência foi eficaz e salutar, uma
vez que favoreceu a análise diagnóstica das raízes de problemas,
fato que coaduna aos princípios que merecem ser
respeitados no trabalho gerencial do enfermeiro, portanto,
possivelmente poderá ser multiplicada tanto no âmbito
acadêmico como profissional.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2016-06-10

How to Cite

FIORIN, J. M. A., TOMIAZZI, T. A., DE OLIVEIRA, J. L. C., DE OLIVEIRA, R. P., TONINI, N. S., & NICOLA, A. L. (2016). USO DO DIAGRAMA DE ISHIKAWA ASSOCIADO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: EXPERIÊNCIA NA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM. Uningá Review, 26(3). Retrieved from https://revista.uninga.br/uningareviews/article/view/1809