PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DA REAÇÃO DE HIDROESTERIFICAÇÃO

Resumo

Ésteres de ácidos graxos (Biodiesel) são comumente produzidos pela reação de transesterificação catalítica básica homogênea, cuja sensibilidade à presença de água e ácidos graxos livres (AGLs) na matéria-prima é um dos principais inconvenientes. A busca por processos de produção que permitem o uso de óleos vegetais com menor valor agregado é de interesse da indústria do biocombustível. Uma alternativa promissora é a hidroesterificação, cuja primeira etapa é a hidrólise de triacilgliceróis produzindo AGLs e glicerol, portanto, ao invés de diminuir a acidez da matéria-prima por meio do refino, a etapa de hidrólise aumenta propositalmente a sua acidez. Em seguida, o glicerol é removido e os AGLs são submetidos à reação de esterificação para produção dos ésteres de ácidos graxos e água como subproduto. Diante disso, neste trabalho é apresentada a revisão da literatura, com enfoque principal na produção de biodiesel a partir da hidroesterificação, bem como as matérias‑primas alternativas com potencial no mercado atual. Foi possível constatar que a hidroesterificação apresenta diversas vantagens em relação à reação convencional. Se realizada em condições de alta temperatura e pressão, pode reduzir as dificuldades associadas ao uso de catalisadores, tornando-se uma alternativa promissora a ser empregada como método de produção do biodiesel.
Publicado
2020-08-31
Como Citar
DE MELLO, Bruna Tais Ferreira; FILHO, Lúcio Cardoso; DA SILVA, Camila. PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DA REAÇÃO DE HIDROESTERIFICAÇÃO. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 35, p. eRUR3522, ago. 2020. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/3522>. Acesso em: 28 set. 2020.
Seção
2º Seção: Ciências Exatas, da Terra e Engenharias