SENTIMENTOS DO ENFERMEIRO NO COTIDIANO DO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR

  • Giovana Fernandes Ederli Vieira
  • Wellington Alexandre de Oliveira CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINGÁ/UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

Resumo

Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo, realizado com enfermeiros do serviço público de atendimento pré-hospitalar da cidade de Maringá-PR, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - SAMU, que concordar em participar do estudo. Teve como objetivo identificar os sentimentos dos enfermeiros que atuam no Atendimento Pré-hospitalar. Foram entrevistados 3 enfermeiros(as). Utilizou-se a técnica de análise de conteúdo de Bardin, que culminou na formação de seis categorias: “sentimentos despertados no APH”, “experiências positivas no APH”, “experiências negativas no APH”, “atividades do enfermeiro no APH”, “preparo pessoal e profissional” e “percepção do enfermeiro sobre o APH. Os resultados mostram que no início de suas atuações não se sentiam seguros, mas com o passar do tempo e experiências no dia a dia foram se sentindo mais confiantes, preparados e motivados para atuar, experimentam diversos sentimentos como, medo, gratidão, tristeza, ansiedade, e consideram motivador o reconhecimento e a possibilidade de salvar vidas. Apesar deste trabalho ter um número pequeno de entrevistados, conseguimos perceber que o sentimento que se sobressaiu nas respostas dos profissionais foi o sentimento da gratidão.
Publicado
2019-09-26
Como Citar
VIEIRA, Giovana Fernandes Ederli; DE OLIVEIRA, Wellington Alexandre. SENTIMENTOS DO ENFERMEIRO NO COTIDIANO DO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 56, n. S6, p. 45-52, set. 2019. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2604>. Acesso em: 20 out. 2019.