RISCOS DE POLIMEDICAÇÃO EM IDOSOS: UMA REVISÃO

  • Juliana Akemi Imazu Rezende Unopar
  • Edmarlon Girotto

Resumo

O aumento significativo da população idosa está associado com a alta prevalência de doenças crônicas e, consequentemente, com o surgimento de casos de polimedicação. E por apresentarem modificações fisiológicas, os idosos estão mais propensos a sofrerem interações medicamentosas e reações adversas pela quantidade de fármacos que lhe são prescritos. Por esta razão, esse trabalho tem como objetivo identificar, por meio de revisão bibliográfica, os fatores que propiciam a politerapia, os principais riscos que essa prática causa na saúde dos idosos e quais são as medidas que podem ser adotadas para evitar ou minimizar as reações aos medicamentos. Através deste estudo, concluiu-se que se faz necessário a implantação de estratégias visando prevenir e minimizar possíveis reações adversas que o paciente idoso possa apresentar com o uso inadequado dos medicamentos.
 
Publicado
2019-03-12
Como Citar
IMAZU REZENDE, Juliana Akemi; GIROTTO, Edmarlon. RISCOS DE POLIMEDICAÇÃO EM IDOSOS: UMA REVISÃO. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 56, n. 1, p. 66-76, mar. 2019. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2141>. Acesso em: 23 mar. 2019.
Seção
Artigos