TRATAMENTO MINIMAMENTE INVASIVO DE LESÕES CARIOSAS EM ODONTOPEDIATRIA

Resumo

Dificuldades no atendimento odontológico das crianças, devido à necessidade de controle do comportamento e de suporte familiar adequado, além de peculiaridades relativas à anatomia dos dentes decíduos, suscitam o uso de técnicas de mínima intervenção para o controle da cárie dentária. Logo, o objetivo do presente trabalho foi realizar uma revisão bibliográfica sobre o tratamento minimamente invasivo de lesões de cárie em dentes decíduos, abordando as características, indicações e limitações de diferentes técnicas dentro desse conceito. O controle de biofilme sem selamento dentário é uma abordagem na qual nenhum tipo de material restaurador é colocado para selar as cavidades, sendo instituída a higiene bucal de modo eficiente como estratégia para paralisar as lesões de cárie. O selamento da lesão sem remoção de tecido cariado prevê a utilização de selantes resinosos ou coroas metálicas diretamente sobre as cavidades, sem remoção prévia de tecido cariado. Já a remoção seletiva de cárie seguida de restauração é a técnica mais aceita e utilizada em odontopediatria, sendo atualmente considerado o padrão ouro, em detrimento da remoção total de tecido cariado. Apesar de a mínima intervenção ser bem aceita pelas crianças, sua aceitabilidade pelos responsáveis e odontopediatras ainda é questionável. Verificou-se que todas essas técnicas se apresentam como alternativas eficazes para o tratamento minimamente invasivo em odontopediatria. Entretanto, é fundamental o entendimento, participação e comprometimento dos familiares, tendo em vista que o controle do biofilme e da dieta possuem papel fundamental para garantir o sucesso desses tratamentos.
Publicado
2020-12-23
Como Citar
REIS, Isabelly da Costa et al. TRATAMENTO MINIMAMENTE INVASIVO DE LESÕES CARIOSAS EM ODONTOPEDIATRIA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 57, n. 4, p. 129-143, dez. 2020. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/3550>. Acesso em: 18 abr. 2021.
Seção
Artigos