PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO CÂNCER DE PRÓSTATA NO BRASIL: RETRATO DE UMA DÉCADA

Resumo

O câncer de próstata (CaP) é o câncer mais comum entre os homens e o segundo tipo que mais evolui para óbito nesses pacientes. Com o aumento da expectativa de vida, doenças como esta vêm sendo detectadas e tratadas precocemente, assumindo uma dimensão cada vez maior e se tornando um problema de saúde pública. Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo, cujos dados foram disponibilizados pelo DATASUS. A população do estudo foi constituída por todos os casos de neoplasia maligna da próstata em homens de todas as idades, diagnosticados e registrados no período de 2009 a 2018. O crescimento anual dos casos novos dessa doença foi contínuo, decrescendo somente em 2018, com uma queda de 0,34%. Homens a partir de 50 anos englobaram o maior número dos casos, sendo as idades de 60 a 69 anos responsáveis por 38,21% dos casos. Em brancos e pardos houve mais de 60% de taxa desta neoplasia. Observou-se uma crescente tendência de aumento da taxa de mortalidade com o aumento da idade, com homens acima de 80 anos apresentando os maiores números desse índice. R$517.416.212,44 foram gastos nesses 10 anos com a neoplasia maligna da próstata. Concluiu-se que, no Brasil, o perfil dos pacientes com CaP é de homens acima de 50 anos, sendo que a maioria é da raça branca e se concentra no Sudeste. O número de internações e a taxa de mortalidade cresceram ao decorrer desses 10 anos analisados e a taxa de mortalidade também se mostrou maior nos idosos com CaP.
Publicado
2020-12-23
Como Citar
FARIA, Lívia Silva de Paula et al. PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO CÂNCER DE PRÓSTATA NO BRASIL: RETRATO DE UMA DÉCADA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 57, n. 4, p. 76-84, dez. 2020. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/3336>. Acesso em: 24 jan. 2021.
Seção
Artigos