AVALIAÇÃO DE SENSORES BIOMÉTRICOS DE CAIXAS ELETRÔNICOS BANCÁRIOS PARA CONTAMINAÇÃO POR BACTÉRIAS PATOGÊNICAS

Resumo

Os microrganismos estão presentes em diversos ambientes, estes sendo patogênicos ou não. Os objetos de uso comum, como os caixas eletrônicos, contaminam-se de várias formas e podem causar infecções em seres humanos, por meio de transmissão por contato indireto. Objetivou-se identificar a presença de microrganismos nos sensores biométricos de caixas eletrônicos da cidade de Santarém-PA. Coletou-se amostras de 24 sensores biométricos de caixas eletrônicos para análise bacteriológica. Utilizou-se swab estéril umedecido em NaCl a 0,9% para realizar a coleta e as amostras foram semeadas nos meios de cultura Ágar chocolate, Ágar CLED e Ágar Macconkey, incubadas em estufas a 37°C/24 h. Das 24 amostras, 6 foram positivas para a presença de bactérias, onde todas foram identificadas como Staphylococcus sp. Ainda, foi realizado o perfil de sensibilidade das amostras, onde identificou-se em 100% dos casos a sensibilidade apenas a gentamicina, e resistência a ampicilina, clindamicina, cloranfenicol, ciprofloxacina, eritromicina, oxacilina, rifampicina, tetraciclina, sulfazotrim e vancomicina. Com os resultados obtidos foi comprovado a contaminação desses locais por bactérias, as quais podem ser resistentes a maioria dos antibióticos utilizados na clínica médica de forma geral. As medidas básicas de higiene das mãos devem ser adotadas por todos os usuários dos caixas eletrônicos, combatendo a disseminação e diminuindo as infecções provocadas pelos microrganismos.
Publicado
2020-10-06
Como Citar
DA SILVA, Paula Luane Cruz et al. AVALIAÇÃO DE SENSORES BIOMÉTRICOS DE CAIXAS ELETRÔNICOS BANCÁRIOS PARA CONTAMINAÇÃO POR BACTÉRIAS PATOGÊNICAS. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 57, n. 3, p. 50-59, out. 2020. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2867>. Acesso em: 21 out. 2020.
Seção
Artigos