PACIENTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: CONDUTA CLÍNICA NA ODONTOLOGIA

  • Mairla Jayane Lopes da Silva Universidade Salgado de Oliveira
  • Larissa Conrado da Silva UFF
  • Khawana Faker Universidade Federal Fluminense
  • Mônica Almeida Tostes Universidade Federal Fluminense
  • Viviane Cancio Universidade Federal Fluminense

Resumo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é caracterizado por um transtorno comportamental de caráter irreversível e de etiologia indefinida. Os primeiros sintomas são observados aos três anos de vida da criança, normalmente pelos responsáveis. O TEA tem um comportamento estereotipado, dificuldade de comunicação e um arquétipo de interesses restritos e, devido a isso, pequenas atividades do dia-a-dia podem se tornar obstáculos, tais como escovação dos dentes e uso do fio dental. O TEA apresenta as mesmas características orais de um paciente não autista, mas devido às limitações da doença e ao descaso dos pais, a cavidade bucal do mesmo tende a ser mais susceptível à cárie e outras doenças. Nesse sentido, é muito importante que haja ligação entre os pais e o dentista com intenção de prevenir os problemas de saúde bucal, uma vez que os pais têm dificuldade de realizar higiene oral eficiente no filho autista e são poucos os profissionais capacitados a atendê-los, tanto em rede pública quanto na rede privada. Sendo assim, o objetivo dessa revisão de literatura é mostrar as características de um paciente autista e a conduta clínica do cirurgião dentista em relação aos mesmos.
Publicado
2019-07-17
Como Citar
LOPES DA SILVA, Mairla Jayane et al. PACIENTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: CONDUTA CLÍNICA NA ODONTOLOGIA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 56, n. S5, p. 122-129, jul. 2019. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2819>. Acesso em: 18 ago. 2019.