TRICOMONÍASE E OUTRAS VULVOVAGINITES EM MULHERES ATENDIDAS EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DE MANDAGUARI

  • VALÉRIA APARECIDA BAQUETTI MOSCA
  • PATRICIA DE SOUZA BONFIM MENDONÇA

Resumo

Este estudo trata-se de uma pesquisa retrospectiva em 4.934
prontuários do período de 2007 a 2011. A idade das mulheres
avaliadas variou entre 19 a 60 anos. Para o diagnóstico
das vulvovaginites, foram utilizados os critérios: corrimento
vaginal, pH > 4.5, teste das aminas e presença de clue cells.
Os resultados mostraram que 285 mulheres tiveram diagnóstico
para Candida sp., 748 para Gardnerella vaginalis, 17
para Papiloma Vírus Humano (HPV), 145 para Trichomonas
vaginalis e 3.739 para Inflamação. Os índices dos diferentes
microorganismos mostram concordância com os
dados de outros estudos brasileiros, com prevalência de G.
vaginalis, Candida sp. e T. vaginalis. A baixa incidência do
HPV pode estar relacionada com a sensibilidade do Papanicolau
quando comparado às investigações por metodologias
moleculares. Apesar das limitações, este estudo alerta
as mulheres da cidade de Mandaguari sobre a prevalência
das vulvovaginites, além de informar a cerca das infecções
sexualmente transmissíveis causadas pelo T. vaginalis e
HPV.

Publicado
2018-01-23
Como Citar
MOSCA, VALÉRIA APARECIDA BAQUETTI; MENDONÇA, PATRICIA DE SOUZA BONFIM. TRICOMONÍASE E OUTRAS VULVOVAGINITES EM MULHERES ATENDIDAS EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DE MANDAGUARI. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 28, n. 2, jan. 2018. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1868>. Acesso em: 21 jan. 2019.