DESMATAMENTO E FLEXIBILIZAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO: O DEBATE NO MEIO CIENTÍFICO E NAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

  • Emanuelle Stopa Santos
  • Natália Martins Ruckstadter Neves
  • Raffael Marcos Tófoli

Resumo

O código florestal brasileiro foi implantado visando conci-liar a preservação ambiental e manejo sustentável dos re-cursos naturais com o uso e ocupação do solo pelo homem.Este trabalho teve como objetivo verificar o nível de debatesobre os temas desmatamento e ecologia geral e novo códi-go florestal no ensino fundamental, médio e superior pú-blicos, assim como na comunidade científica. Realizou-se aelaboração de um questionário estruturado, que foi subme-tido aos alunos dos seguimentos supramencionados. Paraverificar o nível de debate científico dos temas propostos,foi realizada uma análise cienciométrica. Os alunos apre-sentaram um alto índice de acertos, sendo que foram de-tectadas diferenças significativas no número de acertos dosalunos de cada nível de ensino,com um incremento conco-mitante ao aumento do grau de escolaridade dos alunos. Asanálises cienciométricas apontaram um maior número depublicações nos últimos anos, o que deve estar associado àintensificação do processo de desmatamento.
Publicado
2013-09-10
Como Citar
STOPA SANTOS, Emanuelle; MARTINS RUCKSTADTER NEVES, Natália; TÓFOLI, Raffael Marcos. DESMATAMENTO E FLEXIBILIZAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO: O DEBATE NO MEIO CIENTÍFICO E NAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 15, n. 2, p. 5, set. 2013. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/757>. Acesso em: 30 nov. 2021.