ESCLEROSE MÚLTIPLA: O PERFIL DE UMA DISFUNÇÃO NEUROLÓGICA MISTERIOSA

  • JAQUELINE PEREIRA GUIMARÃES
  • JOÃO PAULO FERREIRA SCHOFFEN

Resumo

O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão da literatura descrevendo as principais alterações fisiopatológicas, as possíveis causas, sintomas e tratamento da esclerose múltipla (EM). Esta patologia caracteriza-se pela perda da bainha de mielina dos neurônios do sistema nervoso central, surgindo zonas endurecidas em diferentes áreas do encéfalo e da medula espinal acompanhadas de inflamação, edema e proliferação de células, o que prejudica a transmissão de impulsos nervosos, causando variáveis déficits neurológicos que podem manifestar-se com parestesia, fraqueza dos membros, dificuldade para caminhar, neuriteóptica, diplopia, incoordenação motora, déficits de memória, entre outros. A causa da doença ainda é obscura, no entanto, admite-se que a EM é uma resposta auto-imune. Não há exames específicos para esta patologia, sendo utilizadas com freqüência a tomografia computadorizada, a ressonância magnética e a punção lombar. A esclerose não tem cura, sendo tratada atualmente com drogas imunossupressoras e imunomoduladoras, que respectivamente, reduzem e modulam as respostas imunes, interferindo na evolução da doença. O transplante autólogo de células-tronco vem dando bons resultados, porém, mais estudos devem ser realizados a fim de se obter um melhor controle desta moléstia e de suas complicações. 
Publicado
2010-01-11
Como Citar
GUIMARÃES, JAQUELINE PEREIRA; FERREIRA SCHOFFEN, JOÃO PAULO. ESCLEROSE MÚLTIPLA: O PERFIL DE UMA DISFUNÇÃO NEUROLÓGICA MISTERIOSA. Uningá Review Journal, [S.l.], v. 1, n. 1, jan. 2010. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/478>. Acesso em: 26 jan. 2022.