ANÁLISE DA ROTULAGEM DE LEITE EM PÓ INTEGRAL EM RELAÇÃO AOS CRITÉRIOS EXIGIDOS PELAS LEGISLAÇÕES VIGENTES

Resumo

O Brasil está entre os principais países produtores de leite do mundo. Com o passar dos anos, além da comercialização do leite fluído, a tecnologia conseguiu transformar o líquido em pó através de um processo de evaporação e dessecação que mantém o seu valor nutricional e impede o crescimento de microrganismos deteriorantes e patogênicos. O rótulo do leite em pó, assim como todos os alimentos embalados, deve conter informações obrigatórias que as legislações específicas exigem para manter a comunicação e a segurança alimentar e nutricional do consumidor. O presente estudo objetivou analisar a rotulagem de leite em pó integral produzidos no Vale do Taquari-RS e comercializados em supermercados de uma cidade da região a fim de comparar com os critérios exigidos pelas legislações em vigor. Para a escolha dos produtos foram definidos dois parâmetros, sendo eles embalagem de 400g e leite em pó do tipo integral por ter maior disponibilidade nos mercados visitados. Foram analisados os rótulos tanto para os critérios de rotulagem geral quanto para aqueles de rotulagem nutricional, tendo como base as legislações vigentes que regulamentam a rotulagem de alimentos no Brasil, sendo elas a RDC nº 259/2002, RDC nº 359/2003 e RDC nº 360/2003. Verificou-se que em todos os quesitos avaliados os rótulos estavam em conformidade com as legislações brasileiras vigentes. Ainda, foi possível demonstrar que as indústrias desta região estão seguindo corretamente as normas e especificações que a legislações brasileiras vigentes impõem quanto aos critérios de rotulagem de alimentos.
Publicado
2021-06-10
Como Citar
MAZOCCO, Caroline Aparecida; FACCHINI, Julie; FASSINA, Patricia. ANÁLISE DA ROTULAGEM DE LEITE EM PÓ INTEGRAL EM RELAÇÃO AOS CRITÉRIOS EXIGIDOS PELAS LEGISLAÇÕES VIGENTES. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 36, p. eURJ3698, jun. 2021. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/3698>. Acesso em: 28 set. 2021.
Seção
1º Seção: Meio Ambiente e Agrárias