AVANÇOS TECNOLÓGICOS APLICADOS NA PRODUÇÃO E CONSERVAÇÃO DA CARNE DE FRANGO.

  • JÉSSICA MARIA FERREIRA DE ALMEIDA-COUTO UEM
  • BEATRIZ FERNANDA BONFIM DE SOUZ

Resumo

O setor avícola brasileiro têm se tornado crescente nos últimos anos e os consumidores estão cada vez mais exigente quanto ao consumo de alimentos menos industrializados, para suprir essa demanda estudos têm explorado possíveis alternativas tecnológicas capazes de promover a conservação da carne de frango. Nesse contexto, o objetivo dessa revisão bibliográfica é expor os principais avanços tecnológicos alcançados por pesquisas atuais em carne de frango. O que pode-se concluir é que as especiarias são importantes aliadas no controle da oxidação lipídica e microbiana na carne de frango, com destaque para sua utilização como forma de extratos e marinadas. Inclusive, a associação de óleos essenciais em embalagens ativas também mostrou ser uma alternativa promissora para prolongar a vida de prateleira. Outras tecnologias como o uso de atmosfera modificada e irradiação gama também demonstraram resultados satisfatórios na conservação da qualidade da carne de frango.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Graduada em Engenharia de Alimentos pela Universidade Estadual de Maringá (2015). Participou de semanas acadêmicas, cursos, palestras, projetos científicos, congressos e simpósios com ênfase em embalagens ativas, tecnologia de produtos cárneos, oxidação e café. Possui conhecimento em línguas: Inglês e Espanhol. Experiência no setor alimentício na área de produção, programas de autocontrole, 5s, qualidade. Atualmente é mestranda em Engenharia Química - área da termodinâmica e cursa especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Estadual de Maringá.
Publicado
2019-06-28
Como Citar
ALMEIDA-COUTO, JÉSSICA MARIA FERREIRA DE; SOUZ, BEATRIZ FERNANDA BONFIM DE. AVANÇOS TECNOLÓGICOS APLICADOS NA PRODUÇÃO E CONSERVAÇÃO DA CARNE DE FRANGO.. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 33, n. 3, p. 1-9, jun. 2019. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/2820>. Acesso em: 21 set. 2019.