TRAVESTIS: CORPOS BANHADOS PELO ENVELHECIMENTO SOB ANÁLISES BIBLIOGRÁFICAS

  • ROBSON LOVISON UDESC
  • VERA MÁRCIA MARQUES SANTOS
  • MARSON LUIZ KLEIN

Resumo

Esta pesquisa objetivou analisar os resultados dos estudos na área cientifica sobre o envelhecimento de travestis no Brasil, nos últimos quinze anos. Trata-se de revisão bibliográfica utilizando como base a Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), artigos do Google Acadêmico, teses e dissertações indexadas na Medline e Scielo, empregando os descritores:  travestis; gênero; envelhecimento e corpo, no período de 2000 a 2015. Foram encontrados apenas 19 trabalhos, indicando que estudos sobre o envelhecimento de pessoas que se definem como travestis são escassos, especialmente quando são consideradas questões como o acesso à saúde, ainda que se tenha percebido um progressivo aumento das pesquisas. A maioria dos estudos apontou para aspectos como exclusão social, familiar e profissional, sendo a prostituição resultado dos determinantes sociais que as excluem. O percentual de travestis que conseguem envelhecer é baixo, em função da vida que levam por lhe faltarem opções dignas. As questões de saúde constituem grandes desafios a serem enfrentados durante suas vidas, havendo carência na efetivação de políticas públicas de saúde voltadas a esse segmento. Sugere-se a atuação da enfermagem na construção da cidadania das travestis, a partir da luta pela implementação de ações de saúde e no atendimento digno e respeitoso, considerando suas especificidades.
Publicado
2019-09-24
Como Citar
LOVISON, ROBSON; SANTOS, VERA MÁRCIA MARQUES; KLEIN, MARSON LUIZ. TRAVESTIS: CORPOS BANHADOS PELO ENVELHECIMENTO SOB ANÁLISES BIBLIOGRÁFICAS. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 34, n. 3, p. 49-69, set. 2019. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/2666>. Acesso em: 01 abr. 2020.
Seção
3º Seção: Ciências Sociais e Humanas