ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO DE TARTRAZINA EM ALIMENTOS CONSUMIDOS POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES

  • ALINE PIASINI
  • SIMONE STULP
  • SIMONE MORELO DAL BOSCO
  • FERNANDA SCHERER ADAMI

Resumo

O objetivo do presente estudo foi o de analisar se a
concentração do corante tartrazina se enquadrava nas
recomendações previstas pela Agência Nacional de
Vigilância Sanitária (ANVISA), através da técnica de
espectrofotometria no UV-Vis, no comprimento de onda de
402nm. Foram analisadas nove amostras de cada alimento:
gelatina sabor abacaxi, suco em pó artificial sabor laranja e
isotônico sabor laranja, de três marcas diferentes. A
verificação de cada uma das amostras foi realizada em
triplicata. Para a análise estatística foi utilizado o software
estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS)
13.0. O resultado da média da concentração em g/100g das
amostras de gelatinas e sucos estudados demonstrou valores
superiores ao limite máximo preconizado pela legislação
brasileira, (p=0,008). Esta alteração não foi verificada nas
amostras de isotônicos. Conclui-se que a concentração de
tartrazina adicionada aos sucos em pó e gelatinas
analisados não se enquadraram nas normas estabelecidas
pela ANVISA, enquanto que as concentrações nos isotônico
estavam adequadas.

Publicado
2018-01-12
Como Citar
PIASINI, ALINE et al. ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO DE TARTRAZINA EM ALIMENTOS CONSUMIDOS POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 19, n. 1, jan. 2018. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1530>. Acesso em: 19 jan. 2018.