ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS E LABORATORIAIS DA LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA EM UMA REGIÃO ENDÊMICA DO SUL DO BRASIL

  • ELEN PAULA LEATTE
  • LAIS DE SOUZA BRAGA
  • TAÍSA NAVASCONI ROCHA
  • LARISSA CIUPA
  • CISSIARA MANETTI SKRABA
  • THAÍS GOMES VERZIGNASSI SILVEIRA
  • REJANE CRISTINA RIBAS SILVA

Resumo

A leishmaniose tegumentar americana (LTA) é considerada
pela Organização Mundial da Saúde uma das principais
doenças infecciosa. Os agentes etiológicos mais causadores
da doença no Brasil são Leishmania viannia (L.V.) e Leishmania
leishmania (L.L.). As regiões paranaenses endêmicas
são aquelas que mantêm proximidade com o ciclo do parasito
que são em locais silvestres e áreas florestais preservada.
O objetivo deste estudo foi o de verificar os aspectos
epidemiológicos e laboratoriais da LTA em uma região endêmica
do sul do Brasil. Realizou-se um estudo retrospectivo
com fichas epidemiológicas de pacientes atendidos no
Laboratório de Ensino e Pesquisa em Análises Clínicas da
Universidade Estadual de Maringá no período de 2008 a
2011. Os dados coletados foram: gênero, idade, moradia,
município de residência, atividade que exercia no momento
da infecção e os resultados laboratoriais dos testes de imunofluorescência
indireta, intradermorreação de Montenegro,
exame parasitológico da lesão. Os resultados epidemiológicos
demonstram que 36,9% (n=298?) pacientes tiveram
LTA; destes, houve predomínio do gênero masculino, a
faixa etária mais atingida foi ≥ 50 anos, residentes da zona
urbana e a atividade exercida durante a provável infecção
foi o lazer, destacou-se o município de Doutor Camargo
com maior índice de casos.

Publicado
2018-01-12
Como Citar
LEATTE, ELEN PAULA et al. ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS E LABORATORIAIS DA LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA EM UMA REGIÃO ENDÊMICA DO SUL DO BRASIL. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 19, n. 1, jan. 2018. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1529>. Acesso em: 20 out. 2018.