MICROBIOMA HUMANO: UMA INTERAÇÃO PREDOMINANTEMENTE POSITIVA

  • ALINE APARECIDA RIBEIRO
  • JOHANNES KUNERT LANGBEHN
  • NATHALIA ALVES DIAMANTE
  • SANDRO AUGUSTO RHODEN
  • JOÃO ALENCAR PAMPHILE

Resumo

Quando falamos em biodiversidade esquecemos que o corpo de
todas as espécies animais está literalmente colonizado por uma
rica e complexa diversidade de microrganismos. Estas comunidades
microbianas são de vital importância para a saúde e
estão relacionadas a doenças, e o seu estudo é de suma importância
para o desenvolvimento de novas formas de diagnóstico
e tratamento de certas patologias. Estudos de genética molecular
têm sido empregados para identificação do microbioma
humano, assim como a utilização da técnica do DNA Barcode
que auxilia na investigação e identificação mais precisa destes
microrganismos. Iniciado em 2008, o Projeto Microbioma
Humano (HMP) tem por objetivo caracterizar e analisar as
comunidades microbianas encontradas em vários locais do
corpo humano, sequenciar o genoma microbiano e elucidar a
relação entre a doença e as mudanças no microbioma humano.
Os pesquisadores, até agora, encontraram alguns resultados
interessantes, e com estas descobertas realizadas e os futuros
experimentos, o HMP estará auxiliando na melhor compreensão
da microbiota endógena humana, no sentido de melhor
elucidar suas relações com o hospedeiro e certamente promoverá
benefícios para a saúde humana, uma vez que, desenvolve
novas estratégias profiláticas, como a aplicação de prebióticos
e probióticos.

Publicado
2018-01-12
Como Citar
RIBEIRO, ALINE APARECIDA et al. MICROBIOMA HUMANO: UMA INTERAÇÃO PREDOMINANTEMENTE POSITIVA. REVISTA UNINGÁ REVIEW, [S.l.], v. 19, n. 1, jan. 2018. ISSN 2178-2571. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1526>. Acesso em: 20 out. 2018.