ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS DISPONÍVEIS PARA XEROSTOMIA E HIPOSSALIVAÇÃO EM PACIENTES IRRADIADOS DE CABEÇA E PESCOÇO: MANUAL PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE

  • Rosana Barbosa Leal Giafferis
  • Luiz Alberto Valente Soares Junior
  • Paulo Sérgio da Silva Santos USP
  • Gabriela Moura Chicrala

Resumo

O uso contínuo de alguns medicamentos, doenças autoimunes e o tratamento radioterápico na região de cabeça e pescoço são algumas das causas de alterações no fluxo salivar. Alterações na quantidade e qualidade da saliva facilitam o aparecimento de lesões de cárie, disfagia, disgeusia, doença periodontal e infecções oportunistas. As glândulas salivares maiores e menores podem ser diretamente afetadas pela radioterapia, gerando alterações agudas ou tardias, como a xerostomia e hipossalivação, comprometendo a sobrevida e qualidade de vida dos pacientes. O cirurgião-dentista é o profissional responsável pela prevenção e tratamento dessas alterações salivares através de diversos tipos de terapia. Esse trabalho tem por objetivo a confecção de um manual para esse profissional da saúde com conteúdo informativo sobre as alterações salivares e opções de estratégias terapêuticas disponíveis no Brasil.

Publicado
2017-10-19
Como Citar
GIAFFERIS, Rosana Barbosa Leal et al. ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS DISPONÍVEIS PARA XEROSTOMIA E HIPOSSALIVAÇÃO EM PACIENTES IRRADIADOS DE CABEÇA E PESCOÇO: MANUAL PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 54, n. 1, out. 2017. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/6>. Acesso em: 20 jul. 2018.
Seção
Artigos