BRUXISMO NA INFÂNCIA: UM DESAFIO PARA A ODONTOLOGIA

Resumo

O bruxismo é uma parafunção do sistema mastigatório que ocorre devido a atividade involuntária e rítmica da musculatura do sistema estomatognático. Sua origem é multifatorial, sendo as principais causas fatores locais, sistêmicos, psicológicos, ocupacionais e a hereditários. Essa desordem funcional pode ser diurna ou noturna e o sinal clínico mais comum é o desgaste das faces incisais dos dentes anteriores e oclusais dos posteriores, além do aumento da sensibilidade e danos aos tecidos de suporte. Dessa forma, o tratamento é desafiador, sendo necessárias abordagens multidisciplinares e multiprofissionais (odontologia, psicologia e medicina). A prevalência do bruxismo infantil varia entre 5,9 e 55,3%, sendo mais comum na faixa etária pré-escolar. Os tratamentos podem variar de acordo com a etiologia, idade do paciente e gravidade de cada caso. Dentre os principais, há a confecção de placas de mordida, massagem e uso de calor úmido e de medicamentos de alopatia ou homeopatia. Assim sendo, o objetivo desta revisão de literatura foi discutir os fatores etiológicos e os tratamentos do bruxismo em crianças. A busca bibliográfica foi realizada nas bases de dados Google Acadêmico e PubMed usando os descritores “bruxismo”, “criança”, “crianças”, “etiologia” e “tratamento” em português e inglês, sem nenhuma restrição de idioma nem ano de publicação. Foram incluídos os trabalhos sobre bruxismo na infância e que abordassem sua etiologia e/ou tratamento.
Publicado
2021-08-25
Como Citar
GUIMARÃES, Gabriela Gomes et al. BRUXISMO NA INFÂNCIA: UM DESAFIO PARA A ODONTOLOGIA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 58, p. eUJ3547, ago. 2021. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/3547>. Acesso em: 28 set. 2021.
Seção
Artigos