CONSUMO DE FIBRAS DIETÉTICAS NO DIABETES MELLITUS: AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO E FREQUÊNCIA DE SUA INGESTÃO POR PACIENTES ATENDIDOS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE ESCOLA DE SANTA CATARINA

Resumo

O Diabetes Mellitus (DM) afeta 415 milhões de indivíduos no mundo e 14,3 milhões no Brasil. Sabe-se que alimentos ricos em fibras alimentares têm papel fundamental no controle da glicemia sanguínea. Avaliar a influência do conhecimento sobre a importância da ingestão de fibras e sua frequência de consumo no controle do DM. A população foi composta por diabéticos tipo 2 que frequentam uma Unidade de Saúde Escola de Itajaí/SC. A coleta de dados foi realizada por entrevista contendo questões referentes às características socioeconômicas, conhecimentos e frequência de consumo de fibras. O controle do DM foi avaliado através da Hemoglobina Glicada (HbA1c). A população constituiu-se de 22 pessoas, sendo a maioria do sexo feminino (n=15; 68%), com idade média de 60 (±9,3) anos, e com no máximo 9 (±3,4) anos de estudo. A média de consumo semanal de legumes e saladas foi de oito porções (± 4,5), enquanto as frutas foram citadas em 14 vezes na semana e os cereais integrais, sete vezes. Quando questionados sobre a capacidade das fibras de prevenir e tratar o diabetes, 86% (n=19) dos pacientes concordaram com a afirmação. Encontrou-se tempo médio de diagnóstico de 9 (± 7) anos e média de HbA1c de 8% (± 2). Observou-se conhecimento insuficiente a respeito de fibras alimentares, mesmo sabendo da importância de consumi-las adequadamente, visto que a ingestão de legumes e saladas, de frutas e de cereais integrais foi avaliada como insuficiente, podendo tal fato estar relacionado com renda, ausência de cuidado com a saúde e tempo de diagnóstico.
Publicado
2020-12-23
Como Citar
SILVA, Letícia de Oliveira et al. CONSUMO DE FIBRAS DIETÉTICAS NO DIABETES MELLITUS: AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO E FREQUÊNCIA DE SUA INGESTÃO POR PACIENTES ATENDIDOS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE ESCOLA DE SANTA CATARINA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 57, n. 4, p. 34-45, dez. 2020. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/3312>. Acesso em: 24 jan. 2021.
Seção
Artigos