TERAPIAS NÃO FARMACOLÓGICAS UTILIZADAS PARA ALÍVIO DA DISMENORREIA PRIMÁRIA: REVISÃO INTEGRATIVA

Resumo

A dismenorreia primária é considerada um distúrbio álgico em região suprapúbica associada também a outros sintomas, que ocorrem no período menstrual, provocando redução da qualidade das atividades de vida diária, atenuação da produtividade laboral e absenteísmo, constituindo-se um problema de saúde pública, o que torna imprescindível a busca por tratamentos eficientes. Diante dessa problemática e do grande número de mulheres que sofrem e são prejudicadas por esse distúrbio a pergunta norteadora desta pesquisa foi: “Quais as terapias não farmacológicas que podem combater ou amenizar a dismenorreia?” O objetivo deste estudo foi identificar na literatura evidências científicas sobre terapias não farmacológicas que podem ser utilizadas para o alívio da dismenorreia primária. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, que explorou artigos nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e Medical Literature Analysis and Retrieval System Online. O corpus da revisão foi composto por 29 publicações. Os métodos não farmacológicos relevantes para a redução da dismenorreia primária encontrados foram: acupressão; acupuntura; aromaterapia; bandagem elástica funcional; estimulação elétrica nervosa transcutânea; exercícios físicos; massagem aromaterapêutica; massagem terapêutica; moxabustão; pilates; raios infravermelhos; termoterapia e yoga. Os estudos apontaram que estes métodos foram efetivos para o alívio da dismenorreia primária. Nesse âmbito, é importante que os profissionais de saúde, tenham conhecimento acerca da efetividade destas terapias, o que contribui para a integralidade do cuidado, orientação eficiente e assertiva quanto aos inúmeros métodos alternativos existentes para estes quadros dolorosos.
Publicado
2020-12-23
Como Citar
BRITO DA SILVA, Bianca Aparecida; SALLES, Thamyris Alexandre; GUEDES, Glauteice Freitas. TERAPIAS NÃO FARMACOLÓGICAS UTILIZADAS PARA ALÍVIO DA DISMENORREIA PRIMÁRIA: REVISÃO INTEGRATIVA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 57, n. 4, p. 101-118, dez. 2020. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/3289>. Acesso em: 24 jan. 2021.
Seção
Artigos