INFERTILIDADE: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA

Resumo

Formar uma família ainda é um pensamento atual da sociedade. Contudo, para aqueles que desejam aumentar a progênie por meio de uma gestação, pode ter este desejo interrompido pela infertilidade e promover um choque avassalador. Dessa forma, esta problemática ganhou um espaço dentro do SUS, tornando-se um problema de saúde pública. A infertilidade é considerada quando o indivíduo possui chances mínimas de gerar um bebê. Portanto, a baixa fertilidade é um problema desde os tempos antigos e perpetuado, mesmo com visões diferentes, na contemporaneidade. Hoje o tratamento não é impedido pela falta de métodos, mas sim, pelo difícil acesso aos centros que se localizam nas grandes cidades. No decorrer dos anos, diversas leis e promulgações surgiram com a intenção de garantir o direito dos cidadãos ao acesso a um sistema de saúde, universal e integral, que cumpra com suas atribuições, desde a prevenção de uma gravidez indesejada à concepção, de modo natural ou não. Nesse sentido, este trabalho tem o propósito de esclarecer a compreensão sobre esta doença, as barreiras existentes e suas causas, bem como o conhecimento ao direito pela procura de centros que forneçam o tratamento.
Publicado
2021-06-14
Como Citar
DA SILVA, Daniel José; DE SANTANA, Bárbara Pessoa; SANTOS, Aarin Leal. INFERTILIDADE: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 58, p. eUJ3044, jun. 2021. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/3044>. Acesso em: 28 set. 2021.
Seção
Artigos