REAÇÕES ADVERSAS RELACIONADAS À HEMOTRANSFUSÃO EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO NORDESTE

Resumo

A prática da hemotransfusão é considerada clinicamente favorável por proporcionar relativa melhora no quadro de saúde dos pacientes. No entanto, os benefícios dessa terapia, vêm sendo criteriosamente reavaliados, devido às preocupações com os possíveis riscos para o paciente. Dessa forma, objetivou-se analisar as reações adversas relacionadas à hemotransfusão em pacientes de um hospital público do nordeste. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo e retrospectivo das reações transfusionais ocorridas em um hospital público localizado em uma capital do nordeste, no período de 2010 a 2014. A amostra foi constituída de 37 registros de pacientes que sofreram reação transfusional, os resultados mostraram que a principal indicação para transfusão foi anemia, o concentrado de Hemácias foi o hemocomponente mais infundido, todas as reações ocorridas foram imediatas e a mais acometida foi a febril não hemolítica, ainda observou-se que os exames laboratoriais com a bolsa de sangue após a detecção da reação não foram realizados na maioria dos casos e destacou-se também a subnotificação. Conclui-se que há uma subnotificação e embora esteja melhorando no país, ainda é uma realidade que deve ser fervorosamente combatida, pois atua como entrave para o avanço da hemovigilância.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
Enfermeira, graduada pela Universidade Federal do Piauí em 2016. Mestra em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Piauí (PPGENF/UFPI) em 2019. Especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Evangélica do Piauí (FAEPI) em 2019. Membro do Grupo de Pesquisa em Segurança do Paciente e Sistematização da Assistência em Enfermagem (GPESPSAE-UFPI). Consultora ad hoc da Revista da Escola de Enfermagem da USP (REEUSP). Experiência na área da Enfermagem, atuando nos seguintes temas: Segurança do paciente, Cultura de segurança do paciente, Gerenciamento de riscos, Sistematização da assistência de enfermagem, Processo de enfermagem, Semiologia e semiotécnica para enfermagem.
##submission.authorWithAffiliation##
Enfermeira, Graduada em 2016 pela Universidade Federal do Piauí. Mestra em Enfermagem pela Universidade Federal do Piauí em 2018. Especialista em Saúde Pública com ênfase em Saúde da Família - UNINTER (2019). Membro do Grupo de Pesquisa em Segurança do Paciente e Sistematização da Assistência em Enfermagem (GPESP-SAE UFPI/CNPq). Tem experiência na área de Enfermagem atuando com os seguintes temas: Segurança do Paciente, Cultura de Segurança do Paciente, Sistematização da Assistência de Enfermagem, Processo de Enfermagem, Semiologia e Semiotécnica para Enfermagem.
##submission.authorWithAffiliation##
Enfermeira, Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal do Piauí -UFPI (2016). Possui Residência em Alta Complexidade pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde no Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí - HUPI/UFPI (2016/2017). Mestranda do Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Piauí (PPGENF/UFPI). Membro do Grupo de Pesquisa em Segurança do Paciente e Sistematização da Assistência em Enfermagem. Enfermeira Intensivista no Hospital São Paulo. Têm interesse nos seguintes temas: Cuidado ao Paciente Crítico, Segurança do Paciente, Lesões de Pele, Assistência de Enfermagem Oncológica. 
##submission.authorWithAffiliation##
Possui graduação em ENFERMAGEM pela Universidade Federal do Piauí (1991), Especialização em Enfermagem Médico-cirúrgica pela Universidade Federal do Piauí - UFPI(1995), Especialização em educação profissional na área de Enfermagem pela Escola Nacional de Saúde Publica - ENSP(2003), Especialização em Gestão dos Hospitais Universitários Federais no SUS(2014) pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do hospital Sírio Libanês, IEP-HSL Mestrado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ (1999) e Doutorado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ (2007). Atualmente é professora adjunta IV da Universidade Federal do Piauí (UFPI), ministrando as disciplinas Metodologia da Assistência de enfermagem, Semiologia e semiotécnica para enfermagem e Estágio Curricular II na graduação, e a disciplina Enfermagem em Saúde e Sociedade no Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Piauí (UFPI) . membro da Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD) da UFPI. Atua na linha de pesquisa Processo de cuidar em saúde e enfermagem, tendo como área de investigação saúde do adulto, sistematização da assistência do paciente e segurança do paciente. atuando principalmente nos seguintes temas: segurança do paciente, boas praticas e qualidade da assistência de enfermagem, saude dos grupos humanos, enfermagem e família, urgência e emergência, saúde do adulto, sistematização da assistência de enfermagem e ensino.
Publicado
2019-09-26
Como Citar
DE ABREU, Ingrid Moura et al. REAÇÕES ADVERSAS RELACIONADAS À HEMOTRANSFUSÃO EM UM HOSPITAL PÚBLICO DO NORDESTE. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 56, n. S6, p. 103-115, set. 2019. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2946>. Acesso em: 20 out. 2019.