TAQUICARDIA INCESSANTE, SITUAÇÃO INCOMUM – RELATO DE CASO

  • Bárbara Lopes Guiziline Bandeira
  • Luiz Eduardo Guiselli Gallina
  • Fernanda Coimbra Pereira
  • João Augusto Brustolin

Resumo

A apresentação mais comum das taquicardias ventriculares idiopáticas do ventrículo esquedo é a taquicardia ventricular fascicular, também conhecida como taquicardia ventricular verapamil sensível. O mecanismo arritmogênico ainda é motivo de controvérsia, mas acredita-se que esteja relacionado a uma reentrada que ocorre na região do septo inferior, em que a rede de Fibras  Purkinje superficial faça parte deste circuito. Os fascículos do ramo esquerdo parecem constituir a via retrógrada deste circuito e os potenciais de Purkinje obtidos durante o mapeamento eletrofisiológico representam essa ativação. Foi relatada a evolução de um paciente jovem de trinta e oito anos de idade com quadro de taquicardia recorrente após ablação por catéter há sete anos. Os resultados através da ablação com radiofreqüência dessa taquicardia são altamente satisfatórios e representa, atualmente, o tratamento de escolha e definitivo para tais pacientes.


Palavras-chave: Taquicardia ventricular fascicular, taquidardia ventricular verapamil sensível, taquicardia idiopática.

Publicado
2018-11-30
Como Citar
BANDEIRA, Bárbara Lopes Guiziline et al. TAQUICARDIA INCESSANTE, SITUAÇÃO INCOMUM – RELATO DE CASO. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 55, n. S1, p. 25-34, nov. 2018. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2631>. Acesso em: 15 dez. 2018.