USO DO CANABIDIOL EM PORTADORES DE CRISES CONVULSIVAS REFRATÁRIAS NO BRASIL

  • Suellen Amaro da Silva Unipac
  • André Luis Lopes Saraiva

Resumo

Sabe-se que no Brasil a Cannabis sativa é considerada, mediante a lei, uma planta proscrita. Isto porque alguns de seus derivados apresentam efeitos alucinógenos. No entanto, o Canabidiol (CBD) é um derivado sem qualquer efeito psicoativo e pode ser utilizado de modo eficaz em crises convulsivas refratárias, no câncer, mal de Parkinson, Alzheimer e Esclerose Múltipla. Pelo fato de ainda não ser regulamentado no país, seu uso ainda é restrito, seja para uso próprio ou para fins de pesquisas. No entanto, estudos são necessários para demonstrar essas aplicações e esclarecer seus efeitos, para que este fármaco seja utilizado com segurança e eficácia. Desse modo, o presente estudo visa compreender o uso do CBD no tratamento de pacientes portadores de crises convulsivas refratárias. A metodologia utilizada foi uma revisão bibliográfica mediante consulta na base de dados do SciELO, PUBMED e Google Acadêmico. Estudos demonstram que o CBD possui ação no bloqueio na recaptação e degradação de um dos endocanabidióides (AEA), e ambos, se relacionam com o sistema endocanabidióide, que quando ativado é capaz de modular sinais fisiológicos. No caso das crises convulsivas, ainda não está claro como o CBD age, mas pode-se afirmar que este possui ação anticonvulsivante bem elucidada nesses casos. Diante disso, mudanças significativas em relação à regulamentação de fármacos derivados de CBD poderão facilitar o acesso e uso para portadores de crises convulsivas refratárias. Portanto, espera-se que estudos futuros sejam suficientes para esclarecer melhor a ação do CBD e seus efeitos, além de regulamentar seu uso e com isso, facilitar o processo de aquisição e utilização do CBD para esses pacientes, bem como, proporcionar a eles uma melhor qualidade de vida.
Publicado
2019-03-12
Como Citar
DA SILVA, Suellen Amaro; SARAIVA, André Luis Lopes. USO DO CANABIDIOL EM PORTADORES DE CRISES CONVULSIVAS REFRATÁRIAS NO BRASIL. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 56, n. 1, p. 1-16, mar. 2019. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2131>. Acesso em: 21 maio 2019.
Seção
Artigos