TRATAMENTO FARMACOLÓGICO E NÃO FARMACOLÓGICO DE IDOSOS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL: ADESÃO ÀS TERAPIAS PROPOSTAS

  • Ítalo Arão Pereira Ribeiro PPGEnf/UFPI
  • Shirlei Marly Alves
  • Letícia Lacerda Marques
  • Maria de Fátima Ferreira Araújo
  • Vanessa Maria Chaves Carvalho
  • Shirlei Marly Alves
  • Cleber Lopes Campelo

Resumo

Objetivou-se identificar e analisar como ocorre o processo de adesão às terapias farmacológicas e não farmacológicas por idosos hipertensivos. Trata-se de uma revisão bibliográfica integrativa, em bancos de dados online e bibliotecas físicas. Entre pesquisas científicas dos últimos quatorze anos (2001 a 2015), selecionou-se pesquisas dos últimos três anos que abordam fatores contribuintes para adesão e não adesão terapêutica proposta pelos profissionais de saúde que demonstram os principais problemas encontrados pelos idosos hipertensivos na adequabilidade medicamentosa e não-medicamentosa, demonstrando os fatores de risco que podem agravar a saúde. Conclui-se que há falta de adesão e compreensão sobre a adequabilidade terapêutica anti-hipertensiva, devido grande parte dos idosos serem semianalfabetos de baixo poder socioeconômico, com comorbidades, em terapia múltipla farmacológica e pode apresentar senilidade, fatores estes que dificultam a adesão medicamentosa. Os fatores contribuintes para adesão terapêutica farmacológica e não-farmacológica são: conhecimento real sobre a doença, sua gravidade e possibilidade de morte.

Publicado
2017-10-19
Como Citar
RIBEIRO, Ítalo Arão Pereira et al. TRATAMENTO FARMACOLÓGICO E NÃO FARMACOLÓGICO DE IDOSOS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL: ADESÃO ÀS TERAPIAS PROPOSTAS. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 54, n. 1, out. 2017. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/19>. Acesso em: 26 abr. 2018.
Seção
Artigos