FATORES EPIDEMIOLÓGICOS DA SÍFILIS EM GESTANTES NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS-MA

  • MARIA FERNANDA SERRA FURTADO
  • GABRIELLE VIEIRA DA SILVA BRASIL
  • FRANCISCA BRUNA ARRUDA ARAGÃO
  • GERUSINETE RODRIGUES BASTOS DOS SANTOS
  • SAMARA LETÍCIA MENDONÇA PEREIRA
  • CAROLINE CUNHA FONTOURA
  • JOELMARA FURTADO DOS SANTOS
  • FRANCO CELSO DA SILVA GOMES

Resumo

A sífilis é considerada um problema de saúde pública tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento, como é o caso do Brasil. Desse modo, este estudo tem como objetivo caracterizar e conhecer os fatores associados a gestantes diagnosticadas com sífilis no município de São Luís- MA, no período de 2009 a 2011. Os dados analisados foram coletados através de dados secundários obtidos de sífilis para gestante. A partir dos dados foi possível verificar um total de 67 gestantes com o diagnóstico de sífilis no período em estudo. Observou-se que 53,73% possuíam idade entre 20 e 29 anos, 62,69% possuíam escolaridade até ensino médio incompleto. Verificou-se ainda que 76,12% das gestantes que realizaram o pré-natal iniciaram a partir do segundo e terceiro trimestre gestacional, a maioria apresentou diagnósticos de sífilis na forma primária, 58,82% e 74,07%, respectivamente nos anos de 2009 e 2010. Já em 2011, 65,22% dos casos apresentou a forma secundária. Assim, se reconhece a importância de uma boa assistência ao pré-natal, com detecção precoce de casos de sífilis, assim como o tratamento adequado da gestante e do parceiro para evitar futuros danos à saúde do bebê.
Publicado
2018-01-09
Como Citar
FURTADO, MARIA FERNANDA SERRA et al. FATORES EPIDEMIOLÓGICOS DA SÍFILIS EM GESTANTES NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS-MA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 52, n. 1, jan. 2018. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/1401>. Acesso em: 20 set. 2019.
Seção
Artigos