QUALIDADE DE VIDA DOS DOCENTES EM ENFERMAGEM: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

  • Patrícia Vasconcelos Alves Uningá
  • Meline ROSSETTO KRON Rodrigues

Resumo

O termo “Qualidade de Vida (QV)” é de difícil definição por relacionar-se ao subjetivo, podendo sofrer variações de acordo com a pessoa, bem como com as circunstâncias que as permeiam. Por natureza, o docente está em contato com grande pluralidade de pessoas, o que já o expõe a um fator estressante, independente do cenário de imersão, seja público ou privado. A saúde física e mental do trabalhador pode ser modificada diante do ritmo de trabalho excessivo e de cobranças, que fomentam o desgaste dos profissionais desta área, o que pode interferir no seu comportamento profissional e/ou social. Neste contexto, o estudo teve como objetivo conhecer a produção científica disponível sobre a qualidade de vida dos profissionais docentes de enfermagem. O estudo é de revisão integrativa, qualitativo, baseado em dados da literatura científica publicados nas bases de dados LILACS, BDENF e MEDLINE, no sítio da BVS e PubMed, selecionados a partir do DeCS e MeSH, com os descritores: “Qualidade de Vida” e “Docente de Enfermagem”. Foram selecionados cinco artigos para análise. Existe deficiência de publicações sobre a temática, tanto no contexto nacional quanto no internacional. Por unanimidade, os docentes referiram ter QV boa ou muito boa. O significado de QV foi relacionado como “equilíbrio da vida” e “boas condições de vida”. Alguns fatores mencionados como negativos, como o processo de trabalho e a carga horária do trabalho, interferem na QV, enquanto que a capacitação do docente, o relacionamento profissional e o reconhecimento da instituição são fatores favoráveis para o desenvolvimento da QV dos docentes.

Publicado
2017-10-19
Como Citar
ALVES, Patrícia Vasconcelos; RODRIGUES, Meline ROSSETTO KRON. QUALIDADE DE VIDA DOS DOCENTES EM ENFERMAGEM: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 54, n. 1, out. 2017. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/14>. Acesso em: 19 jan. 2018.
Seção
Artigos