PREVALÊNCIA E FATORES DETERMINANTES DO ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO

  • MARCELA DE OLIVEIRA DEMITTO
  • MARCOS BENATTI ANTUNES
  • LUCIANA OLGA BERCINI
  • ROBSON MARCELO ROSSI
  • MARICY MORBIN TORRES
  • TIARA CRISTINA ROMEIRO LOPES
  • ANGELA ANDRÉIA FRANÇA GRAVENA
  • SANDRA MARISA PELLOSO

Resumo

Objetivou-se analisar a prevalência do aleitamento materno exclusivo (AME) e identificar os fatores determinantes da amamentação nos primeiros seis meses de vida entre usuárias da rede pública de saúde de Maringá, PR. Estudo observacional, transversal com 378 mulheres que fizeram o pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde. Para análise utilizou-se o procedimento stepwise em modelos de regressão logística. A prevalência de AME em menores de seis meses foi de 30,03% e média de AME de 118 dias. Dentre os fatores determinantes do AME analisados a situação conjugal foi estatisticamente significante, revelando que mulheres com companheiro apresentaram duas vezes mais chances de amamentar exclusivamente por seis meses do que aquelas que não possuem. A prevalência de AME está aquém do preconizado pela Organização Mundial da Saúde, mostrando a necessidade de reavaliar e reorganizar as ações pró-amamentação no município
Publicado
2018-01-09
Como Citar
DEMITTO, MARCELA DE OLIVEIRA et al. PREVALÊNCIA E FATORES DETERMINANTES DO ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 52, n. 1, jan. 2018. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/1387>. Acesso em: 15 set. 2019.
Seção
Artigos