Acompanhamento da rotina de um centro cirúrgico: há um protocolo de cirurgia segura?

  • JULIANA GALAZINI AMARAL
  • FABENE ETIANE SILVA OLIVEIRA

Resumo

A cirurgia tornou-se parte integrante do cuidado em saúde nomundo. Estima-se que 234 milhões de cirurgias sejam realizadasanualmente. As complicações cirúrgicas são comuns e frequentementeevitáveis. Atualmente, a melhoria da segurança do paciente e daqualidade da assistência à saúde tem recebido atenção especial. Ahipótese levantada neste estudo foi a de observação e análise daexistência de uma Lista de Verificação, dirigida à melhoria dacomunicação e à consistência do cuidado, reduziria complicações e óbitosassociados à cirurgia. Busca-se com isso, a redução de infecção do local aser operado, além das complicações relacionadas à anestesia. O objetivodo estudo foi o de acompanhar a rotina do Centro Cirúrgico de umhospital do interior do Estado de São Paulo, para observar a existência deum protocolo de cirurgia segura. Tal medida foi interpretada como umprocesso que visa melhorar o atendimento ao paciente, proporcionando –lhe segurança, acolhimento e interação entre equipe cirúrgica e paciente;sendo um ato de proteção e guarida. A relação entre a equipe deenfermagem, médicos e pacientes é de fundamental importância para apercepção e a experiência cirúrgica. Entre as medidas de proteçãodestacou – se a atenção ao paciente e o preenchimento do checklist decirurgia segura. A observação foi realizada em um procedimentocirúrgico de mastectomia e o outro em ureteroscopia. Constatou-se noprimeiro procedimento, a inexistência de um Checklist preenchidoformalmente, de acordo com as orientações da OMS. Algumas questões a serem abordadas foram realizadas verbalmente, no entanto, não supriramas necessidades contempladas na Lista de Verificação. Na observaçãorealizada no procedimento cirúrgico de uma ureteroscopia, constatou-seuma maior atenção dada a alguns itens do protocolo de cirurgia segura;no entanto, tais itens foram abordados de forma verbal, sem a existênciado preenchimento do checklist. Já está comprovado que o funcionamentoda equipe cirúrgica de modo integrado, reduz taxas de eventos adversos.É considerado de suma importância a prática em questão deprocedimentos que garantam segurança ao paciente em procedimentoscirúrgicos, porém percebeu-se a dificuldade na efetiva implantação, porparte de alguns profissionais da área da saúde, que dão pouca importânciaa esse procedimento burocrático. Mudar essa cultura é uma questão deorganização interna e treinamento da equipe.
Publicado
2017-12-27
Como Citar
AMARAL, JULIANA GALAZINI; OLIVEIRA, FABENE ETIANE SILVA. Acompanhamento da rotina de um centro cirúrgico: há um protocolo de cirurgia segura?. REVISTA UNINGÁ, [S.l.], v. 36, n. 1, dez. 2017. ISSN 2318-0579. Disponível em: <http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/1109>. Acesso em: 25 ago. 2019.
Seção
Artigos